05 maio 2016

Resenha : A Guerra do Tempo (Trilogia Maya Fujita #1) - Jéssica Sanz

Oi, gente! Tudo bem com vocês? Aqui é o Dan para mais uma resenha. Agora em maio, estou me dedicando a ler todos os livros dos parceiros do blog, pois meu mês de abril foi bem conturbado, cheio de problemas, e não consegui lê-los. Peço perdão, logo, logo as resenhas virão! E, para começar, trago aqui para vocês minha opinião sobre o livro A Guerra do Tempo, da autora Maya Fujita.


Título : A Guerra do Tempo
Autora : Jéssica Sanz
Editora : Independente 
Edição : 2016
Páginas : 255
Sinopse : 
Maya Fujita acabou de chegar a Mirai, um mundo mágico e aparentemente perfeito. Mas ela vai descobrir que, apesar da magia, esse mundo possui uma imperfeição : A maldade das pessoas. Essa maldade se manifestará na vida de Maya de forma tão intensa que culminará em uma guerra. Agora, cabe a Maya fazer com que tudo termine. E o tempo dela está acabando.

~•~

O mundo de Mirai, onde se passa a história, é uma dimensão mágica, habitada por fadas (criaturinhas fascinantes que há muito tempo atrás foram criadas pelos magos -os primeiros habitantes de Mirai- e os auxiliaram na construção do mundo), dragões (os meios de transporte e mascotes dos personagens de Mirai) e por quatro tipos de classes mágicas - os feiticeiros, os xamãs, os magos e druidas, que se distinguem por suas habilidades. Mirai é dividida em 16 reinos, formados por várias aldeias. Cada aldeia possui uma árvore mágica, que é a fonte de magia de seus aldeões, que usam energia mágica para tudo. Quando alguém surge nesse mundo, ele inicia sua vida já sabendo andar, pensar, falar, mas com 1 ano. Essa idade é diferente da nossa, ela é ganhada através de trabalhos feitos usando magia, como em um desses jogos de computador que existem por aí. À medida que essa pessoa vai ganhando experiência e subindo de nível, ela também cresce e, quando tiver 100 anos, pode se transformar em uma classe mágica diferente e voltar à ter 1 ano de idade (mas sem nenhuma mudança de crescimento, visual, essas coisas, apenas perde seus ''níveis'').Maya, nossa protagonista, chega em uma aldeia deserta do reino de Pin, sem lembrar de nada da vida em que passou na Terra dos Perdidos, que é como os habitantes de Mirai chamam nosso mundo. Quando alguém morre na nossa dimensão, ele aparece nessa dimensão paralela, e quando alguém morre ou abandona Mirai, ele nasce novamente aqui. Enfim, é algo que me deixou um pouco confuso por ser mesmo complexo, mas se você entender isso pode seguir a história sem problema algum, irá entender tudo. Jéssica já me disse que nos próximos livros ela irá aprofundar mais nesse tema ;) A primeira pessoa que Maya conhece é um senhor que dá as primeiras instruções para se começar uma vida em Mirai, Tensai, só que ele tem pouquíssima participação do livro. Depois, Maya conhece GL7, um garoto bem intencionado e divertido que a apresenta a Cidade (o centro do reino), a Escola de Magia (onde se aprende feitiços, ganhando experiência e aumentando de idade) e que também lhe consegue uma aldeia de um homem muito bom chamado Raul para morar, mas a garota logo deixa o lugar à procura de uma aldeia mais experiente.  Ao longo de sua jornada, passando por várias aldeias, ela vai ganhando experiência, conhecendo amigos e se depara com um grande inimigo que tem planos obscuros contra seu reino. Não irei contar mais sobre o vilão e sobre o enredo da história pois seria spoiler, já que é bacana descobrir por si só. 
A história só começa a pegar ritmo do meio para o final, quando Maya e sues amigos vivem várias aventuras e, assim como o leitor, se surpreendem com descobertas de traições vindas dos que viviam entre si, com um plano maquiavélico bolado muito bem e com o rumo que seus destinos tomam.
O universo que Jéssica cria é muito criativo e bem pensado, só senti falta em algumas partes de mais explicações e detalhes, mas acho que nos próximos livros da trilogia tudo será esclarecido. Fiquei extremamente envolvido durante a leitura, que foi extremamente prazerosa. Devorei o livro em poucas horas de tão rápido e gostoso de ler. A escrita de Jéssica é simples e muito fluída, sempre trazendo em alguns momentos um pequeno resumo da história até onde ela tinha parado, o que facilita ainda mais o entendimento. Claro que algumas pontas ficaram soltas, como a passagem de uma pessoa da Terra dos Perdidos para Mirai, mas nada que atrapalhe o desenvolvimento e a magia da trama! Tudo muito bem arquitetado, com personagens bem construídos que me envolveram (e olha que são muitos!). Maya vai evoluindo muito no decorrer do livro, se tornando uma garota forte e decidida. Quase não tem nenhum romance, apenas uma química entre Maya e Lucas, mas nada se desenrolou, o que não me desagradou, já que não me importo muito com romance em uma boa fantasia.
Enfim, a autora é muito jovem e com certeza ainda evoluirá muito no decorrer de suas obras, mas essa foi uma estréia fascinante, que me deixou extremamente in love com cada capítulo da história. Só não dou cinco estrelas por ser um livro muito rápido e por faltarem alguns detalhes, mas, como eu já disse, nada que prejudique o andamento da leitura. Estou ansioso para ler os outros livros da trilogia! Obrigado Jéssica, pelo carinho, confiança e paciência e meus parabéns!

Nota :  (4 de 5)

É isso, gente. Espero que tenham gostado e não deixem de ler A Guerra do Tempo para se maravilharem com uma obra simples, rápida de ler, surpreendente e muito bem pensada! Até mais!

Página da autora - Clique Aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário